You Are Here: Home » Artigos » E.B.D » Adolescente » A santidade não saiu de moda

A santidade não saiu de moda

EBD – Adolescentes – EDIÇÃO: 08 – 1º Trimestre – Ano: 2021 – Editora: CPAD

LIÇÃO – 08 – 21 de fevereiro de 2021

TEXTO BÍBLICO

I Tessalonicenses 4.1-7

DESTAQUE

“Deus não nos chamou para vivermos na imoralidade, mas para sermos completamente dedicados a ele.” (I Ts 4.7)

LEITURA DEVOCIONAL

Segunda-feira – Lv 11.45

Terça-feira – II Co 3.18

Quarta-feira – I Pe 1.15,16

Quinta-feira – I Ts 4.7

Sexta-feira – Rm 6.13,19

Sábado – I Co 6.19,20

Domingo – II Co 7.1

I. FUI CHAMADO PARA SER SANTO!

Ao lermos o Antigo e o Novo Testamento percebemos que o Deus Santo convocou seu povo escolhido para ser santo (Lv 11.45; I Pe 1.15,16). O termo “santo” na Bíblia traz basicamente “a ideia de separação do uso comum para a dedicação a Deus e ao seu serviço”. Ou seja, um Deus santo que quer ter comunhão com pessoas vem ao encontro delas por meio de Jesus e seu sacrifício na cruz, fazendo isso ser possível ao tornar puro o impuro e santo o ímpio.

O apóstolo Paulo diz aos irmãos da cidade de Tessalônica que a vontade de Deus para vida deles é que sejam santificados (I Ts 4.7); eles deveriam ser completamente dedicados a Deus e ao seu serviço. Desta forma, devemos atender ao chamado à vida santa que o Senhor nos convoca a viver. Tal chamado deve se expressar em nossa vida com atitudes concretas como, por exemplo, quando tomamos a iniciativa de curtir ou publicar algo nas redes sociais ou quando estamos distantes de nossos pais, mas na companhia de colegas da escola que tentam nos influenciar a fazer coisas equivocadas.

Ser santo não é uma moda passageira, mas um compromisso de vida que veio para ficar, pois o Espírito Santo que habita em nós está nos transformando diariamente. Em sua oração sacerdotal, em João 17, Jesus não pediu ao Pai que retirasse seus discípulos do mundo, mas que os livrasse do Maligno. Fica evidente que o chamado de Jesus à vida santa não é um isolamento nem tampouco uma conformação com o mundo. Ele nos chama para viver “no mundo” e, ao mesmo tempo, “não sermos do mundo”. Não precisamos copiar o mundo para ganharmos pessoas para Cristo.

O nosso poder de atração está exatamente em nossa diferença do mundo, pois como disse Jesus: “assim como eu não sou do mundo, eles também não são” (v.15,16). Bem como disse o pastor John Stott: “Não devemos preservar nossa santidade fugindo do mundo, nem sacrificá-la nos conformando a ele”. Não se esqueça: Jesus não morreu para comprar pessoas perfeitas, mas para perdoar pecadores e torná-los santos.

O compromisso com o Deus Santo, de sermos seus santos, em um mundo nada santo, só é possível com a maravilhosa ajuda do Espírito Santo. Você foi chamado a ser santo! Então, seja santo porque o Senhor é santo.

II. O QUE É SANTIFICAÇÃO?

De acordo com os principais dicionários de Teologia a palavra santificação remonta a ideia de o ato divino tornar santa a pessoa que crê em Jesus. Após a conversão, momento em que somos convencidos pelo Espírito Santo acerca dos nossos pecados e entregamos nossa vida a Jesus Cristo, recebemos instantaneamente a libertação do pecado (Rm 8.1). Paralelamente, ocorre a libertação do poder do pecado, a santificação. Ou seja, o processo contínuo em que Deus, pelo Espírito Santo, retira de nós o pecado nos devolvendo à imagem do seu Filho (II Co 3.18).

A partir desse momento somos conduzidos dia após dia, até o arrebatamento, em vitória sobre o mundo (I Jo 5.4), sobre a carne (Rm 7.24,25) e sobre o Diabo (Tg 4.7). No futuro seremos completamente livres da presença do pecado (Rm 8.18-23). Ser santificado é ser separado do mal em todas as suas formas até a volta de Jesus. A obra do Espírito não cessa. Ele não só nos purifica, mas também nos ajuda a evitar o pecado. Nós somos convidados a cooperar com Ele nesse processo (Is 1.16; Rm 6.13,19; II Co 7.1; Fp 2.12; Tg 1.27).

Como é possível perceber, a santificação é tanto um fato ocorrido quanto um processo permanente; aconteceu no passado quando aceitamos a Jesus e continua acontecendo até o retorno do Senhor. A operação do Espírito Santo em nossa vida é algo instantâneo e ao mesmo tempo progressivo, partindo do coração para fora, do interior para o exterior, da essência para a aparência. Somos santos em processo de santificação.

Que o processo de santificação iniciado pelo Espírito Santo alcance nossas relações com as redes sociais, com o namoro, com os pais, com os amigos na escola; bem como nosso espírito, alma e corpo a fim de que sejam inteiramente dedicados ao Senhor (I Ts 5.23), pois sabemos que sem a santificação ninguém verá o Senhor (Hb 12.14).

III. NÃO FUI CHAMADO PARA “FICAR”!

Precisamos ter muito cuidado para não copiar as ações praticadas por pessoas de nosso tempo, que não demonstram nenhum tipo de compromisso com Deus e com os seres humanos. Uma dessas atitudes, sem sombra de dúvidas, é o famoso, concorrido, porém superficial e pecaminoso “ficar”. Precisamos refletir sobre isso cuidadosamente. Não há razão para dois adolescentes cristãos estabelecerem precipitadamente um relacionamento.

Primeiro, porque eles devem priorizar os estudos para que tenham uma excelente formação. Depois, de acordo com as Escrituras Sagradas, o relacionamento entre homem e mulher visa constituir uma família diante de Deus (Gn 2.22-25; Ef 5.31; cf. I Co 6.12-20; 7.8,9,32). O termo “ficar” em nossa cultura “teen” atual pode ser entendido como um ATO descompromissado entre duas pessoas de se beijarem ou realizarem algo mais sem nenhum interesse de manter vínculos emotivos duradouros.

Aqui não se busca conhecer ou se tornar conhecido pelo outro, muito menos a preocupação com os sentimentos que possam vira existir em função da experiência física e emocional vivenciada. Daí ser natural e corriqueiro ouvirmos expressões como: “foi apenas um beijo”, “eu não quero nada com ele”, “a fila anda”. O conselho de Jesus aos seus discípulos vale perfeitamente para a ocasião: “façam aos outros o que querem que eles façam a vocês” (Mt 7.12).

Certamente ninguém gostaria de ser tratado como um objeto descartável ou como um animal irracional e insensível. Afinal de contas, somos seres humanos dotados de capacidade para pensar, sentir e escolher. Deus nos criou para vivermos relacionamentos saudáveis. 0 seu corpo é templo do Espírito Santo (I Co 3.16; 6.19,20; II Co 6.16); você tem a mente de Cristo (I Co 2.14-16); o ser humano não nasceu para ser usado, mas para ser amado (Jo 3.16; Rm 12.9,10). Portanto, é definitivamente, “ficar” não é atitude de quem serve a Deus e tem compromisso com o seu Reino.

RECAPITULANDO

Ser santo é um imperativo do Senhor para o seu povo, quer seja criança, adolescente, jovem, adulto ou idoso. Não há meio-termo, o escritor aos hebreus diz que sem a santificação ninguém verá Senhor (Hb 12.14), país é preciso ser completamente dedicado a Ele, o fato de a santificação ser um processo contínuo realizado pelo Espírito Santo em nosso interior não nos dá o direito de continuar pecando irresponsavelmente (I Jo 3.9). Afinal de contas, viver para agradar a Deus é uma prioridade para todo cristão.

Postado por: Pr. Ademilson Braga

Fonte: Editora CPAD

Compartilhe!

Deixar um comentário

© Seara de Cristo - Todos os direitos reservados.

Scroll to top