You Are Here: Home » Artigos » Reverência: obrigação de cada crente – PARTE – 2

Reverência: obrigação de cada crente – PARTE – 2

Deve haver um limite de números musicais a serem executados durante o culto pelos órgãos musicais de uma igreja, especialmente quando essa dispõe de banda, coral, conjunto, quarteto, solistas etc. Deixar isso por conta dos dirigentes é falta de sabedoria do obreiro que dirige o culto, e é dele que Deus requererá conta dessas irregularidades. Se a igreja é dotada de muitos órgãos e

recursos musicais, basta seu pastor ou responsável escalar quem deverá cantar e tocar em determinados dias. Agora, dirigir o culto apresentando só música é desordem, falta de compostura, desequilíbrio.

Igrejas que têm cantina devem fechá-las totalmente, no mínimo meia hora antes do início do culto. Os encarregados devem sair da cantina e apagar suas luzes, para desmotivar alguém a insistir em vender mais alguma coisa.

O salão de recepção (que muitos templos possuem) têm sido um dos focos da desordem durante o culto, com pessoas permanecendo lá, ausentando-se da reunião.

Os diáconos deverão cuidar dessa parte, providenciando para que ninguém fique nesse salão enquanto o culto prossegue. Do contrário, haverá duas reuniões na mesma casa de Deus – uma espiritual e outra secular, porém indébita, por ser no horário do culto a Deus.

Em se tratando de festa, quando o templo nunca comporta o povo, é um caso diferente. É uma exceção. Mas, de qualquer maneira, os que estiverem lá deverão permanecer em ordem.

Uma vez transpondo o portão da rua diante do templo, já é templo, e, a partir daí, não deve haver mais desatenção, irreverência, conversa.

Quem ficar na frente do templo por falta de lugar no seu interior deve manter-se em atitude reverente. Os corredores externos do templo devem ser fechados logo antes do início de cada culto e mantidos assim até o final do culto. É melhor prevenir do que curar. Esses corredores têm sido um dos focos de irreverência nos cultos.

O encarregado da literatura não deve permitir conversa e distração na área sob sua responsabilidade. Ele deve fazer o que puder, com amor, para manter a boa ordem no local durante o culto.

Os obreiros que trabalham com crianças, como os do culto infantil ou da Escola Dominical, devem orientar as crianças a como se comportarem na casa de Deus, a entrar no templo, a andar dentro do templo sem chamar a atenção, a sair do templo em ordem etc. A casa de Deus não é parque de diversão para crianças correrem e brincarem à vontade. Se isso acontecer, os primeiros culpados serão os pais ou responsáveis; em segundo lugar, o dirigente do culto que não aciona seus obreiros para zelarem pela decência e ordem na casa de Deus.

É dever do dirigente do cultos ter diáconos distribuídos em locais estratégicos dentro e fora do templo para cooperarem nesse mister. A área junto ao púlpito não deve ser esquecida, mesmo que a igreja tenha culto infantil.

Além do mais, se o lar não cooperar eficazmente com a sua parte, ensinando, orando, jejuando, cooperando e apoiando, a igreja pouco pode fazer em favor da formação da criança.

Segundo a orientação do pastor da igreja, o encarregado pelo serviço de som deve colocar disco para tocar antes do culto apenas se for em tom suave, e música apropriada para coadjuvar os momentos devocionais dos fiéis que estão chegando para o culto.

Muitos estão chegando hoje ao templo como quem chega a uma casa comum, a um local comum, sem a língua nem a mente santificadas por Deus.

Só com oração constante a Deus esse assunto será resolvido, mas, de qualquer maneira, sempre o teremos, porque sempre há novos irmãos chegando. Portanto, é preciso sempre oração, e jejum, e orientação nesse sentido.

 

 

Postado por: Pb. Ademilson Braga

 

 

 

Compartilhe!

Deixar um comentário

© Seara de Cristo - Todos os direitos reservados.

Scroll to top