You Are Here: Home » Artigos » Os Desafios Da Educação Materialista – Parte 3

Os Desafios Da Educação Materialista – Parte 3

O que a Bíblia ensina sobre a educação das crianças?

Jesus quer as crianças junto dele. “Deixai vir os pequeninos a mim e não os impeçais, porque dos tais é o Reino de Deus” (Mc 10.14). Os pais cristãos precisam fazer tudo o que estiver a seu alcance para que seus filhos pequenos estejam junto de Jesus. E isso só é possível se houver um interesse verdadeiro em conduzir os filhos aos pés de Jesus. A vida moderna conspira contra a vida cristã.

Os pais alegam que não têm tempo para cuidar dos filhos, e os entregam aos cuidados das escolas seculares, que, ao invés de formar o caráter, deformam a mente das crianças, ensinando-lhes conteúdos materialistas. A Bíblia desmente o argumento da falta de tempo. Diz a palavra: “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu” (Ec 3.1 – grifo nosso). Grifamos a expressão “para todo o propósito”, para ressaltar que, havendo “propósito”, há tempo para se fazer aquilo que se planeja.

Na verdade, o que existe é um descaso enorme, por parte da maioria dos pais cristãos, com a formação espiritual de seus filhos. Jesus quer que as crianças sejam criadas sob a orientação de sua palavra. E não há desculpas que convenção o Espírito Santo de que não é possível educar os filhos nos caminhos do Senhor.

As crianças devem ser ensinadas. O Nazismo soube ensinar as crianças, e convenceu-as a ficar do seu lado perverso. O comunismo soube aproveitar a sede de conhecimento das crianças e Ihes preparou para adorar o Estado, como salvador maior, rejeitando tudo o que se referisse a Deus, a Cristo, à Bíblia. O islamismo sabe cuidar das crianças, ensinando-as, inclusive, a morrer, explodindo minas no campo de batalha. Mas muitos cristãos desvalorizam o ensino a seus filhos pequenos. Diz o sábio, escritor de Provérbios: “Instrui o menino no caminho em que deve andar, e, até quando envelhecer, não se desviará dele” (Pv 22.6). Diz Paulo: “E vós, pais, não provoqueis a ira a vossos filhos, mas criai-os na doutrina e admoestação do Senhor” (Ef 6.4).

Em Provérbios, vemos o valor do ensino às crianças. Os cientistas afirmam que uma criança, até os sete anos, já deverá ter formada a sua personalidade. Dessa fase da vida, vai depender todo seu comportamento, suas inclinações, tendências e assimilação de idéias, conceitos, pré-conceitos, virtudes, defeitos, traumas, e objetivos na vida. Parece exagero. Mas está de acordo com a Bíblia: “Instrui o menino… e, até quando envelhecer, não se desviará dele”. Uma criança bem educada, bem instruída, absorve de tal forma o ensino, que, dificilmente, aceitará facilmente idéias contrárias à sua formação, recebida no lar. Quando elas são criadas “na doutrina e admoestação do Senhor”, normalmente, na adolescência, e na juventude, lembram-se das lições recebidas na infância.

Muitas mães, cristãs, dizem que não têm tempo de fazer o culto doméstico. Mas assistem novelas todos os dias, inclusive no horário dos cultos a Deus. Gastam o precioso tempo, dando valor às coisas do diabo, e se esquecem de cuidar da vida espiritual de seus filhos. Devemos remir o tempo “porque os dias são maus” (Ef 5.16).

No Antigo Testamento, as crianças eram valorizadas. As crianças participavam do louvor a Deus ao lado dos adultos. Diz a palavra: “E Jesus Ihes disse: Sim; nunca lestes: Pela boca dos meninos e das criancinhas de peito tiraste o perfeito louvor?” (Mt 21.16). Jesus se referia ao livro de salmos (8.2), dando-lhe uma versão mais profunda. No Salmo 148, são exortados os velhos, os rapazes, donzelas e crianças a louvar a Deus. As mulheres e os meninos se alegravam nas festas (Ne 12.43).

No livro de Provérbios, vemos a educação das crianças em destaque, de modo a saberem temer a Deus e a obedecerem a seus pais. “Instrui o menino no caminho em que deve andar, e, até quando envelhecer, não se desviará dele” (Pv 22.6); “A estultícia está ligada ao coração do menino, mas a vara da correção a afugentará dele” (Pv 22.15); a “pedagogia moderna”, respaldada por leis contrárias aos princípios de Deus, desaconselha qualquer tipo de castigo físico à criança, por causar-lhe “danos psicológicos”. No entanto, diz a palavra de Deus: “Não retires a disciplina da criança, porque, fustigando-a com a vara, nem por isso morrerá. Tu a fustigarás com a vara e livrarás a sua alma do inferno” (Pv 23.13,14).

Por “disciplina”, entende-se toda ação educacional, instrutiva, e discipuladora, pois a palavra disciplina tem a mesma raiz da palavra discipular. De fato, uma pessoa bem disciplinada é uma pessoa bem educada, bem discipulada. No entanto, se refere à “vara”, indica algum tipo de castigo físico, necessário para certas faixas etárias, quando a criança não entende o conselho, ou a privação de algum privilégio. Certamente, aquele que criou a criança sabe o que é melhor para ela, muito mais do que os psicólogos, materialistas, e dos legisladores modernistas, que desprezam o conselho de Deus.

No Novo Testamento, a criança é tomada como exemplo. Jesus foi extremamente cuidadoso com as crianças. Numa ocasião, os pais levavam os meninos para que chegassem perto dEle, e Jesus os tocasse. E os discípulos não gostaram, pois o barulho era grande, as crianças eram inquietas, o que é próprio de sua idade, e sugeriram que elas fossem mandadas embora. O Mestre ficou realmente indignado, e Ihes falou, sem dúvida, em tom de repreensão: “Deixai vir os pequeninos a mim e não os impeçais, porque dos tais é o Reino de Deus”. Em verdade vos digo que qualquer que não receber o Reino de Deus como uma criança de maneira nenhuma entrará nele. “E, tomando-as nos seus braços e impondo-lhes as mãos, as abençoou” (Mc 10.13-16).

Em outra ocasião, Jesus repreendeu os principais sacerdotes e escribas por causa das crianças.

“Vendo, então, os principais dos sacerdotes e os escribas as maravilhas que fazia e os meninos clamando no templo: Hosana ao Filho de Davi, indignaram-se e disseram-lhe: Ouves o que estes dizem? E Jesus Ihes disse: Sim; nunca lestes: Pela boca dos meninos e das criancinhas de peito tiraste o perfeito louvor?” (Mt 21.15-16). Jesus ficou ao lado das crianças.

Os pais podem vencer com seus filhos. Ainda que a onda avassaladora de materialismo assole as escolas, os colégios, e as faculdades, é possível vencer o poder da doutrinação materialista, disfarçada de intelectualidade, de ciência ou de filosofia. Eliseu disse a Geazi: “Não temas; porque mais são os que estão conosco do que os que estão com eles” (2 Rs 6.16). Por incrível que pareça: há mais agentes de Deus do nosso lado do que os agente do mal em qualquer área da vida.

No cântico de vitória, Paulo disse: “Que diremos, pois, a estas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós?” (Rm 8.31). Diante de tanta deseducação; diante de tanta zombaria das coisas de Deus; diante de tantos que usam a educação para criticara evangelho; diante da força da “falsa ciência”; como enfrentar tais desafios à formação espiritual das crianças e dos filhos em geral? A resposta está na palavra de Deus: “Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou” (Rm 8.37).

 

Autor: Pr. Elinaldo Renovato de Lima

Extraído: Apostila EBD/ADBelem-Pirassununga-SP

Autorização: Publicação autorizada pelo autor em 06/08/2011

 

Postado por: Pb. Ademilson Braga

Compartilhe!

Deixar um comentário

© Seara de Cristo - Todos os direitos reservados.

Scroll to top