Connect with us

Adultos - Betel

Revestido de toda armadura de Deus

Publicado

em

EDIÇÃO: 103 – 4º Trimestre – Ano: 2021 – Editora: BETEL

LIÇÃO – 13 – 26 de dezembro de 2021

TEXTO ÁUREO

“No demais, irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder.” Efésios 6.10

VERDADE APLICADA

Há uma batalha diária entre os filhos de Deus e as hostes do mal. Precisamos estar conscientes e revestidos para enfrentá-la.

TEXTOS DE REFERÊNCIA

Efésios 6

10- No demais, irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder.
11- Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo.
12- Porque não temos que lutar contra carne e sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais.
13- Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau, e, havendo feito tudo, ficar firmes.

LEITURAS COMPLEMENTARES

Segunda-feira – Dn 10
Os acontecimentos dos últimos dias.
Terça-feira – Jo 3.20
Todo aquele que faz o mal aborrece a luz.
Quarta-feira – II Co 10.4
As armas da nossa milícia não são carnais.
Quinta-feira – Ef 6.18
Devemos orar em todo tempo.
Sexta-feira – I Pe 5.8
O diabo, nosso adversário.
Sábado – I Pe 5.9
Precisamos resistir firmes na fé.

INTRODUÇÃO

Paulo nos fala acerca da uma batalha espiritual e de todos os recursos disponíveis que temos para nos revestirmos e, assim, podermos resistir e ficar firmes.

I – VESTINDO-NOS DE TODA A ARMADURA

Existe uma batalha inevitável entre aqueles que servem a Cristo e as organizadas forças do mundo espiritual. Para vencer a batalha devemos estar devidamente equipados (Ef 6.11-12).

  1. Fortalecei-vos no Senhor e em sua força. Todo cristão sabe perfeitamente que enquanto permanecer neste mundo, precisa estar sempre vigilante e sempre contando com a ajuda do Senhor, pois o inimigo é astuto, bem organizado e forte. A exortação é para que a Igreja se fortaleça no Senhor e receba a necessária vitalidade dEle (Ef 6.10). Ninguém deve entrar em uma batalha sem o devido preparo. A palavra grega usada aqui é “endynamosthe” e significa: “fortaleza, tornar-se forte”. O cristão deve ter Cristo como a fonte de seu poder, porque não se trata de uma batalha física (não é contra carne ou sangue), e não é com forças humanas que venceremos essa guerra (Ef 6.12)
  2. Revesti-vos de toda armadura. A Igreja de Cristo é como um quartel que recruta e treina seus soldados para a batalha contra as hostes do mal. Como bons soldados de Cristo precisamos estar bem treinados e fortes para enfrentar os ardis de nosso inimigo. Para esta luta contra o mundo das trevas, também precisamos nos vestir adequadamente, cobrindo todas as áreas onde o inimigo possa nos ferir (Ef 6.11). Isso nos indica que não se trata de uma vestimenta comum, se trata de uma vestimenta especial fornecida por Deus, de uma série de elementos espirituais perfeitamente projetados por Deus para cobrir Seu povo na luta diária contra os ataques do inimigo. Existe também uma razão pela qual devemos estar revestidos: “para que possamos permanecer firmes contra as armadilhas do diabo” (Ef 6.11b).
  3. A luta não é contra a carne e o sangue. Devemos entender claramente que não são as pessoas físicas que se opõem a nós (não é carne nem sangue). Toda ação que outros empreendem contra nós pelo fato de estarmos em Cristo, a mão do inimigo está presente, ainda que de forma sigilosa (Ef 6.12ª). Verdadeiras estratégias de guerra não convencionais (Paulo as chama de astutas ciladas), que geralmente passam despercebidas. Por isso precisamos estar em comunhão com o Espírito e revestidos da armadura de Deus. O apóstolo Paulo assim nos ensinou em relação ao mundo das trevas: têm poder, são astutos e maus. O mundo das trevas usa seu poder para destruir e se deleita na falsidade e no pecado, odeiam a luz e a verdade (Jo 3.20).

II – CONHECENDO OS INIMIGOS DA BATALHA

O relato de Paulo é muito esclarecedor. Ele fala acerca da batalha, diz o local onde essa batalha está sendo travada e revela quem são os inimigos que devemos combater.

  1. A organização do exército inimigo. No versículo 12, temos uma descrição que revela a estrutura de um reino espiritual organizado, que continua operando e projetando suas estratégias em uma dimensão fora do mundo natural que vemos, para aplicá-las todos os dias, a qualquer momento, contra a Igreja de Jesus Cristo, ou seja, contra os discípulos de Cristo, a fim de fazê-los cair e, assim, impedir o avanço do reino. Eles são denominados de “principados, potestades, príncipes das trevas deste século, hostes espirituais da maldade” (Ef 6.12). Observamos que cada termo usado para descrever essa hierarquia demoníaca é precedido pela palavra “contra”, que implica que cada um representa uma categoria ou nível de autoridade diferente.
  2. Mundo espiritual x mundo físico. Devemos ter em mente que tudo o que acontece no mundo espiritual tem influência no mundo físico, e vice-versa. Podemos citar como exemplo a oração de Daniel, que foi feita no mundo físico, mas repercutiu no mundo espiritual (Dn 10.2-13; Ef 6.12b). Nesse capítulo Paulo revela a posição do inimigo, quem são e de onde partem seus ataques. Francis Foulkes comenta que os cristãos, estando em Cristo, são descritos como estando elevados acima deste mundo material, nos “lugares celestiais” (Ef 2.6), assim também lá ocorre o seu conflito espiritual (…).
  3. Os inimigos que devemos enfrentar. O principal inimigo que devemos enfrentar é o diabo, mas ele não está só, ele vem com suas hostes (Ef 6.11-12). Aqui vemos literalmente o paralelo da batalha de dois reinos espirituais com influências terrenas. Enquanto essas hostes estão nas regiões celestiais, a Bíblia diz que Satanás “anda em derredor, buscando a quem possa tragar” (Jó 1.7; I Pe 5.8-9). Fica claro que o ataque vem por todos os lados. Mas também devemos nos alegrar porque temos um grande General que está por toda a parte, e habita pelo Espírito Santo dentro de cada um de nós, formando um grande exército e capacitando com armas poderosamente destrutíveis e insuportáveis ao inimigo (II Co 10.4).

III – O EQUIPAMENTO DO SOLDADO CRISTÃO

O servo de Deus que deseja vencer e seguir adiante, deve estar preparado e equipado, pois o inimigo busca a todo o instante que sua fé seja enfraquecida. Por isso, a ordem é estar revestido de toda a armadura de Deus.

  1. A roupagem de um bom soldado. O apóstolo Paulo nos mostra as seis peças principais que compunham as vestimentas de um soldado da época: o cinto, a couraça, o calçado, o escudo, o capacete e a espada, para apresentá-las como ilustrações de verdade, da justiça, do evangelho da paz, da fé, da salvação e da Palavra de Deus. Cada uma delas cumpre uma função estratégica na proteção do soldado, tendo sido desenhadas por Deus, para nos equipar na luta contra o maligno e suas hostes. Cada uma delas serve para cobrir um algum ponto vulnerável de nossas vidas. A ordem é estar devidamente coberto para poder resistir no dia mau e ficar firmes (Ef 6.13).
  2. A estabilidade espiritual do crente. Bem sabemos, que Paulo escreve a carta aos efésios de sua prisão em Roma, na qual estava rotineiramente visualizando um soldado romano. Provavelmente o Espírito o inspirou no tipo de roupa que o soldado usava, para nos ensinar como devemos estar preparados para enfrentar o adversário “no dia mau” (Ef 6.13), ou seja, no dia ou quando somos tentados a enfrentar uma situação difícil, que pode nos trazer crises de fé; quando estamos passando por provações de diferentes magnitudes e tipos, e assim, depois que toda essa tempestade tiver passado, permanecermos firmes (Ef 6.13b). O que significa que devemos permanecer alertas, e sem hesitação.
  3. Aplicando a vida à oração. Nesta parte, Paulo enfaticamente nos exorta a orar o tempo todo, com toda a oração e súplica no Espírito (Ef 6.18). Paulo provavelmente não inclui a oração como uma das peças da armadura, porque a oração do crente é muito abrangente, deve permear toda a luta, independentemente do tipo de luta, das circunstâncias ou do tempo. É por isso que diz “em todo o tempo”, no Espírito. Isso não apenas nos fala sobre o momento, mas que às vezes nem sabemos o que pedir ou como pedir, por isso se faz necessário, para a eficácia da oração, fazê-la solicitando a orientação do Espírito Santo (Rm 8.26).

CONCLUSÃO

Estamos em Cristo nos lugares celestiais, mas também ainda nesse mundo (Jo 16.33), tendo, assim, que lidar com as investidas do maligno. Portanto, é imprescindível sermos fortalecidos no Senhor e estarmos revestidos de toda a Sua armadura para resistirmos e ficarmos firmes. Até que Ele venha.

Postado por: Pr. Ademilson Braga


Fonte:
Editora Betel

Compartilhe!
Clique aqui para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais lidos

Copyright © Seara de Cristo - Todos os direitos reservados