You Are Here: Home » Artigos » A verdade bíblica acerca de Maria – PARTE 2

A verdade bíblica acerca de Maria – PARTE 2

A bem-aventurança de Maria

Outro incidente que lança mais luz ainda sobre o comportamento de Maria, está registrado no Evangelho de João. “E faltando o vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Não têm vinho. Disse-lhe Jesus: Mulher, que tenho eu contigo? ainda não é chegada a minha hora. Sua mãe disse aos serventes: Fazei tudo o que ele vos disser”.  Toda a vida de Maria e as palavras dela registradas na Bíblia são um testemunho eloquente de sua submissão a Jesus e de sua inteira dependência dele. O ensino dela é: “fazei tudo quanto ele vos disser”, e tudo o que Cristo ensinou pode ser resumido nesta frase por ele proferida quando orava ao Pai: “E a vida eterna é esta: que te conheçam, a ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste”.

Por último, o texto bíblico referente ao período entre a assunção de Jesus e o Pentecoste: “E entrando, subiram ao cenáculo, onde habitavam, Pedro e Tiago, João e André, Filipe e Tomé, Bartolomeu e Mateus, Tiago, filho de Alfeu, Simão o zelador, e Judas, de Tiago. Todos estes perseveravam unanimemente em oração e súplicas, com as mulheres, e Maria mãe de Jesus, e com seus irmãos”. Aí está Maria, juntamente com seus filhos, aguardando o cumprimento da “promessa do Pai”, o derramamento do Espírito Santo. Seu nome não encabeça a lista e é aqui mencionado pela última vez nas Escrituras. De acordo com os historiadores do cristianismo, desde a trágica sexta-feira em que Jesus morreu crucificado, e a pedido deste, João tomou Maria, então viúva, e cuidou dela até o final de sua vida.

Os evangélicos, firmados na Palavra de Deus, dão a Maria, mãe do Filho do homem, lugar que lhe cabe no plano da salvação, como fizeram os apóstolos e o próprio Jesus. Mas recusam-se a elevá-Ia a uma posição nunca por ela almejada e muito menos ocupada. Se Maria soubesse (e felizmente ela não sabe!) das honrarias e homenagens a ela dispensadas pelos católicos romanos e outros religiosos, sentir-se-ia ofendida e triste por essa abominável idolatria e afronta aos sublimes ensinamentos e mandamentos do Salvador por ela tão amado, gerado nela, a mais bem-aventurada das mulheres, por obra e graça do Espírito Santo.

 

 

Postado por: Pb. Ademilson Braga

Compartilhe!

Deixar um comentário

© Seara de Cristo - Todos os direitos reservados.

Scroll to top