Connect with us

Adolescente - CPAD

Relacionando-se nas redes sociais

Publicado

em

EBD – Adolescentes – EDIÇÃO: 45 – 4º Trimestre – Ano: 2021 – Editora: CPAD

LIÇÃO – 07 – 14 de novembro de 2021

TEXTO BÍBLICO

II Timóteo 3.1,2

DESTAQUE

“Alguns dizem assim: ‘Podemos fazer tudo o que queremos’. Sim, mas nem tudo é bom. ‘Podemos fazer tudo o que queremos’, mas nem tudo é útil” (I Co 10.23).

LEITURA DEVOCIONAL

Segunda-feira – Pv 8.13
Terça-feira – Ap 3.16
Quarta-feira – Jo 10.10
Quinta-feira – I Co 10.23
Sexta-feira – I Co15.33
Sábado – Pv 17.17
Domingo – I Co 10.23

I. NA REDE

Você consegue imaginar um jovem que não esteja conectado ao Facebook, Twitter, Instagram? Não conseguimos nem imaginar, pois nunca o acesso às redes sociais foi tão amplo. Hoje, elas são um fenômeno social e acabaram se tornando um espaço bem democrático e até ajudaram a quebrar alguns tabus nas igrejas. Entretanto, quando o assunto é internet, geralmente os pais e os pastores ainda ficam muitos preocupados, e não é para menos. Certa vez, um jovem desesperado chegou a pedir: “Por favor, diga para os meus pais que não é pecado usar a internet e estar nas redes sociais. Você é professora e com certeza eles vão ouvi-la.” Seus pais ficam preocupados com suas atividades online? Se sim, então fique feliz, pois é uma prova de que o amam e se preocupam com você.

Basta olhar os noticiários para ver quanta coisa ruim está acontecendo. É claro que o cristão pode utilizar as redes sociais. Não podemos exagerar e dizer que é pecado! Aliás, você não vai encontrar na Bíblia nenhum texto bíblico que fale a respeito deste assunto, pois é uma atividade da vida moderna. Por não conhecerem o universo online, muitas pessoas acabam tendo um excesso de zelo, preocupação, e acabam enxergando somente os aspectos negativos do mundo virtual. Houve um tempo em que o rádio também foi muito criticado, e algumas igrejas proibiam seus membros de ouvi-lo. Tudo que é novo assusta. Apesar disso, como cristãos, devemos evitar todo e qualquer radicalismo.

Devemos ser prudentes, equilibrados em nossas atitudes, palavras e até pontos de vista. Com as redes sociais não é diferente, precisamos utilizá-las com sabedoria, prudência e equilíbrio. A cada dia, o número de brasileiros online vem aumentando e grande parte deste número é de jovens como você. Como estes adolescentes estão se comportando nas redes sociais? Como você se comporta? O problema não são as redes sociais, e sim como as pessoas se comportam nelas.

II. PERIGOS!

Um dos muitos perigos que queremos chamar a sua atenção está no fato de que muitos jovens acabam se expondo demais. Além das fotos e vídeos que postam, acabam também mostrando seus sentimentos. Isso não é bom. O Facebook não é a sala de visitas da sua casa. Nem todos que acessam ao seu Facebook, Twitter ou Instagram são realmente seus amigos e querem o seu bem. Há pessoas que estão lá apenas para tomar conta da vida dos outros, criticar, distorcer suas palavras, espionar e julgá-lo. Nas redes, existem pessoais boas e más. Existem crentes, servos de Deus e satanistas. Alguns, além de bisbilhotar a vida alheia, acabam também espalhando comentários maldosos.

Às vezes, você faz um comentário inocente, e daí as pessoas mal-intencionadas deturpam suas palavras e atribuem a você palavras e atitudes que não são suas. Quantos já não foram vítimas de calúnias nas redes? Precisamos ter cuidado com os mexeriqueiros, pois esta não é uma prática nova; mesmo assim, hoje, com as redes, um comentário maldoso tem proporções devastadoras. A Bíblia nos adverte: “Não ande espalhando mentiras no meio do povo, nem faça uma acusação falsa que possa causar a morte de alguém […]” (Lv 19.16). Infelizmente, pessoas utilizam indevidamente as redes sociais para espalhar mentiras e boatos. As palavras ferem e podem causar a morte. Saiba que Senhor aborrece a boca perversa (Pv 8.13). Tome cuidado e procure evitar fofocas e conversas indevidas.

A Palavra de Deus declara que não devemos nos enganar quanto a assuntos que, a princípio, parecem nos despertar curiosidade, mas que, na verdade, “corrompem os bons costumes” (I Co 15.33-ARC). Não saia compartilhando ou curtindo qualquer coisa que achar engraçada. Às vezes, até pode ser “engraçado”, mas é algo preconceituoso que fere os princípios bíblicos. Você precisa estar atento às mensagens que publica em seu perfil. Outro perigo que podemos constatar é a diminuição do diálogo familiar. Muitos jovens já não conversam como deveriam com seus pais e irmãos, pois o tempo que sobra é gasto nas redes sociais. Solange Jobim e Souza, em sua obra Subjetividade em Questão, diz que “nos lares de hoje as famílias não mais contam suas histórias. O convívio familiar se traduz na interação muda entre as pessoas que se esbarram entre os intervalos dos programas da TV e o navegar através do éden eletrônico as infovias.” Você concorda com o pensamento dessa autora?

Podemos ter milhares de amigos virtuais, podemos estar conectados às redes; porém, temos que investir nos relacionamentos em família e com amigos reais. Vejamos o último perigo: O fato de que alguns adolescentes e jovens, e até mesmo crianças, acabem se viciando. O vício faz com que não estudem mais como deveriam, fazendo até mesmo com que alguns sejam reprovados. Conhece algum caso assim? Outros, infelizmente, acabam prejudicando a sua comunhão com Deus, pois deixam de ler a Bíblia e orar, pois todo o tempo é gasto com as redes sociais. Se as redes estiverem atrapalhando a sua comunhão com Deus é hora de colocar o pé no freio e parar. A falta de comunhão com Deus leva a mornidão espiritual, e uma das piores coisas que pode acontecer conosco é nos tornarmos crentes mornos: “Mas, porque são apenas mornos, nem frios nem quentes, vou logo vomitá-los da minha boca” (Ap 3.16). Em qual “temperatura” você está?

Pode parecer exagero, mas na China o problema foi diagnosticado como uma doença. É a chamada IAD (sigla em inglês para distúrbio de atenção de internet). Alguns jovens têm que ser internados pelas famílias para tratamento. Tudo que vicia e escraviza o homem não procede de Deus, mas, sim, do Diabo. A Bíblia diz que ele veio para matar, roubar e destruir, mas Jesus veio ao mundo para nos libertar e nos dar vida abundante (Jo 10.10). É triste, mas segundo um estudo do Hospital das Clínicas de São Paulo, divulgado recentemente no Brasil, já são 8 milhões de viciados em internet. Algo realmente preocupante e alarmante.

III. FAZENDO UMA LEITURA CRÍTICA

Diante de tontos malefícios, fica a pergunta: É lícito interagir com as redes sociais? Para o cristão, todos as coisas são lícitas, mas nem tudo é proveitoso ou edificante (I Co 10.23). Devemos fazer uso do universo online com prudência e discernimento. Podemos desfrutar das redes sociais, desde que sejamos cuidadosos e tenhamos limites. É importante ressaltar que, nas mídias sociais, encontramos pessoas que possuem todo o tipo de ideologia, além de comunicarem suas crenças e valores. Michael Palmer, no livro Panorama do Pensamento Cristão, diz que “os cristãos que veem a cultura de mídia de entretenimento têm de aprender a ler essas imagens e rejeitar as que são incompatíveis com os padrões cristãos e a Escritura”.  Esse é o problema. Quantas crianças, jovens e adolescentes conseguem fazer essa leitura? E difícil! Precisam ser ensinados a fazer isso. Será que você faz essa leitura? Ou será que ingere tudo sem questionamento?

RECAPITULANDO

As redes sociais não são essencialmente boas ou más. Depende muito do uso que você vai fazer delas. Utiliza-a para ajudar as pessoas, evangelizar e glorificar o nome do Senhor. Examine tudo, mas retenha somente o que é bom e reto, valorizando o que é carreto. Se Jesus hoje fosse entrar no seu perfil, você teria algo do que se envergonhar? Pense nisso!

 

Postado por: Pr. Ademilson Braga

Fonte: Editora CPAD

 

 

 

 

Compartilhe!
Clique aqui para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais lidos

Copyright © Seara de Cristo - Todos os direitos reservados