You Are Here: Home » Artigos » E.B.D » Adultos - Betel » Santidade de Deus

Santidade de Deus

EDIÇÃO: 72 – 2º Trimestre -Ano: 2021 – Editora: BETEL

LIÇÃO – 07 – 16 de maio de 2021

TEXTO ÁUREO

“Dai ao Senhor a glória devida ao seu nome; adorai o Senhor na beleza da sua santidade.” Sl 29.2

VERDADE APLICADA

Quando somos corrigidos pelo Senhor, é para o nosso proveito, para sermos participantes da Sua santidade.

TEXTOS DE REFERÊNCIA

Êxodo 15

11- Ó Senhor, quem é como tu entre os deuses? Quem é como tu, glorificado em santidade, terrível em louvores, operando maravilhas?

Isaías 6

2- E clamavam uns para os outros, dizendo: Santo, santo, santo é o Senhor dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua glória.

I Pedro 1

15- Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver.

16- Porquanto escrito está: Sede santos porque eu sou santo.

LEITURAS COMPLEMENTARES

Segunda-feira – Lv 11.44-45

Deus não aceita mistura nem contaminações.

Terça-feira – Lv 20.26

Deus é santo.

Quarta-feira – I Cr 16.29

Adorai ao Senhor na beleza da Sua santidade.

Quinta-feira – II Cr 20.21

Todos devem louvar a santidade do Senhor.

Sexta-feira – Sl 145.17

Deus é justo e santo em todas as suas obras.

Sábado – Ap 3.7

Deus, aquele que é Santo e Verdadeiro.

INTRODUÇÃO

Abordaremos nesta lição que, quando meditamos sobre a santidade de Deus, ficamos mais precavidos e mais determinados a viver livres do pecado e de toda sorte de desobediência à Sua Palavra.

I. SANTIDADE: PUREZA E RETIDÃO DE DEUS

Esequias Soares (Teologia Sistemática Pentecostal – CPAD): “Deus é absolutamente santo; sua santidade é infinita e inigualável; Ele é santo em si mesmo, em sua essência e em sua natureza. No entanto, está escrito que Ele exige santidade de Seu povo porque Ele é santo (Lv 19.2; I Pe 1.16). Vemos, pois, que a santidade está em Deus e deve estar em seus seguidores”.

1. Deus é perfeito. Ele não erra nem tem falha alguma. Santidade é a pureza perfeita de Deus, que não tem mancha nem pecado algum. A Bíblia diz que Deus é santo e esse é o Seu caráter. O pecado nem sequer pode entrar em Sua presença! Somente o que é santo pode se aproximar de Deus. Quem quiser se aproximar de Deus precisa afastar-se de toda impureza e do pecado que nos rodeia (II Sm 22.31; Mt 5.48; Hb 12.1; 12.14).

2. Deus é absolutamente isento de pecado. Deus não se contamina nem tem impurezas, por isso Ele não aceita se relacionar com pessoas impuras. Ele ama o pecador, mas rejeita o pecado em todas as suas formas. Quem se aproxima de Deus deve buscar a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor (Hb 12.14).

3. A santidade de Deus exige que Ele julgue o pecado. Se Deus aceitasse o pecado, Ele não seria santo. A desobediência, a idolatria, o adultério e a comunhão do Seu povo com outros povos sempre desagradaram a Deus e despertaram Sua ira, pois são uma afronta à Sua santidade. O Senhor sempre advertiu a Israel e a Judá por intermédio dos Seus profetas (II Rs 17.13, 17-18; I Sm 12.15). Não brinque com Deus, porque Deus é amor, mas também é fogo consumidor (Hb 12.29). A santidade de Deus exige que a pena do pecado seja paga. A Sua ira se manifesta sobre toda impureza e injustiça dos homens que detêm a verdade em injustiça (Rm 1.18).

II. SANTIDADE: A BELEZA E GLÓRIA DE DEUS

“Ó Senhor, quem é como tu entre os deuses? Quem é como tu, glorificado em santidade, terrível em louvores, operando maravilhas?” (Êx 15.11). “Tu, com a tua beneficência, guiaste este povo, que salvaste; com a tua força o levaste à habitação da tua santidade.” (Êx 15.13). “Não há santo como é o Senhor; porque não há outro fora de ti” (I Sm 2.2a).

1. A santidade de Deus não sofre alterações. A santidade de Deus é imutável como os Seus demais atributos, não sofre variações nem oscilações como o homem, que ainda está no processo de santificação: “Pelo que, querendo Deus mostrar mais abundantemente a imutabilidade do seu conselho aos herdeiros da promessa, se interpôs com juramento, para que por duas coisas imutáveis, nas quais é impossível que Deus minta, tenhamos a firme consolação, nós, os que pomos o nosso refúgio em reter a esperança proposta.” (Hb 6.17-18).

2. A santidade de Deus não pode ser violada, confundida nem questionada. Deus nunca foi visto nem surpreendido por ninguém em deslize moral ou ético de nenhuma espécie. Qual das suas criações, inclusive os anjos e os homens, poderia questionar a Sua santidade? Ninguém! É impossível o homem compreender plenamente a santidade de Deus, por ele ser criatura e estar vivendo ainda aqui na terra, sob pressão do pecado (I Co 2.10-11). Quem questionará as Sagradas Escrituras: “Justo é o Senhor em todos os seus caminhos e santo em todas as suas obras” (Sl 145.17). A santidade de Deus é a regra em todas as Suas ações.

3. A santidade de Deus é padrão e espelho para a Sua criação. Dicionário Internacional de Teologia do Antigo Testamento: O homem foi criado à imagem de Deus e é capaz de refletir a semelhança divina. E, assim como Deus se revela como eticamente santo, Ele chama os homens a uma santidade que lembra a sua própria […] Inerente à obra redentora de Deus é a promessa da derradeira manifestação da santidade de Deus na glorificação de seu povo e no livramento em que a criação se verá livre das imperfeições resultantes da maldição edênica (Rm 8.18-23)”. Assim, os que nasceram de novo e agora são filhos de Deus por adoção, são chamados a um viver em santidade e contínuo progresso em Cristo (Mt 5.48; I Pe 1.13-17).

III. SANTIDADE: REVELADA NA PALAVRA DE DEUS

Somente pela revelação de Deus em Sua Palavra e ação do Espírito Santo é possível conhecer um pouco acerca da santidade de Deus, o que esta verdade acarreta na relação do homem com Deus, bem como o efeito expressado no agir de Deus na vida humana. Isaías diz: “Lavai-vos, purificai-vos, tirai a maldade de vossos atos diante dos meus olhos; cessai de fazer o mal. Aprendei a fazer o bem; praticai o que é reto, ajudai o oprimido, fazei justiça ao órfão, tratai da causa das viúvas.” (Is 1.16,17).

1. A santidade de Deus O faz amar o pecador, mas aborrecer o pecado. A santidade de Deus requer a separação do homem do pecado, enquanto a justiça de Deus justifica ou condena de acordo com a Sua soberania. O escritor aos Hebreus recomenda: “Portanto, nós também, pois que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo embaraço e o pecado que tão de perto nos rodeia, e corramos, com paciência, a carreira que nos está proposta.” (Hb 12.1).

Deus ama a humanidade e quer se relacionar com ela. Porém, uma grande barreira impede esse relacionamento com muitos: as práticas pecaminosas, porque Deus não tem comunhão com o pecado: “Mas as vossas iniquidades fazem divisão entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça.” (Is 59.2). Jesus é a propiciação pelos nossos pecados: “Porque, como pela desobediência de um só homem, muitos foram feitos pecadores, assim, pela obediência de um, muitos serão feitos justos.” (Rm 5.19).

2. A santidade de Deus aperfeiçoa o caráter do homem. A nossa santidade é aperfeiçoada no temor de Deus (II Co 7.1). A santidade de Deus exige que quem se relaciona com Ele seja santo (I Pe 1.15-16). A santidade de Deus deve alcançar a Sua Criação (Dt 14.1-2). Para sermos participantes da Sua santidade, Deus exige que aceitemos Sua disciplina, pois quem não aceita ser corrigido não pode ser restaurado e gozar da santidade de Deus (Hb 12.10). A disciplina serve para restauração e não para destruição. O homem nascido de novo tem o seu caráter transformado pelo Espírito Santo. O homem só é alcançado pela santidade de Deus, quando ele tem uma conversão genuína (II Co 5.17-18).

3. Santifica-os na verdade; a Tua Palavra é a verdade. No Evangelho de João no capítulo 17, verso 17, podemos ver e apreciar essa linda mensagem em oração feita por Jesus pelos Seus discípulos. A santificação é a vontade de Deus para os seus filhos (I Ts 4.3). Estamos num processo que não termina aqui na terra. A santidade de Deus o impede de alterar os Seus planos e modificar os Seus propósitos.

CONCLUSÃO

A santidade de Deus não tolera nenhuma forma de desobediência ou pecado, pois cheira mal às Suas narinas. Toda sorte de iniquidade será eliminada da Sua presença. Deus espera que o pecador venha a ser lavado e redimido no sangue de Jesus.

Postado por: Pr. Ademilson Braga

Fonte: Editora Betel

Compartilhe!

Deixar um comentário

© Seara de Cristo - Todos os direitos reservados.

Scroll to top