Connect with us

E.B.D

Uma vida de intimidade com o Pai

Publicado

em

EBD – Jovens – EDIÇÃO: 24 – 2º Trimestre – Ano: 2022 – Editora: Betel

LIÇÃO – 11 – 12 de junho de 2022

TEXTO DE REFERÊNCIA

Efésios 5.1-2

LEITURA SEMANAL

Segunda-feira – II Tm 2.15
Sabendo manejar a Palavra da Verdade.
Terça-feira – Mt 26.41
O cristão precisa vigiar e orar.
Quarta-feira – Lc 18.1
Orar é um dever para o cristão.
Quinta-feira – Mt 17.21
Castas de demônios só saem com jejum e oração.
Sexta-feira – At 13.2-3
A Igreja primitiva e o jejum.
Sábado – Ef 6.17
A Palavra de Deus é a Espada do Espírito.

VERSÍCULO DO DIA

 “Chegai-vos a Deus, e ele chegará a vós.”. Tg 4.8a

VERDADE APLICADA

O relacionamento entre Jesus e o Pai, nos exemplifica como termos intimidade com Deus.

INTRODUÇÃO

Intimidade refere-se ao alto nível de transparência e liberdade entre pessoas em um relacionamento. Neste aspecto vemos o relacionamento mais íntimo descrito na Bíblia: Jesus e o Pai.

I – MANEJANDO BEM A ESPADA

Jesus nos mostra, no episódio da tentação (Mt 4.1-11) que não basta conhecer as Escrituras, mas também aplicá-la no momento certo, refutando assim todas as investidas do diabo. Como Seus discípulos, precisamos saber manejar a Espada do Espírito, que é a Sua Palavra.

  1. Meditando na Palavra. No desenvolvimento da fé cristã, é necessário que o seguidor de Jesus leia, examine e medite nas Escrituras. Alimentar-se da Palavra diariamente revigora a alma e fortalece nossa vida espiritual. O salmista diz no Salmo 1 que é bem-aventurado o varão que tem o seu prazer na Lei do Senhor e nela medita de dia e de noite. A Palavra de Deus deve ser prioridade na vida do todos aqueles que desejam conhecer mais de Deus. Desde a Sua infância, Jesus se debruçava na leitura da Palavra, e a usava como arma contra as investidas do maligno.
  2. Guardando a Palavra no coração. Um dos maiores segredos para uma vida vitoriosa é guardar os Mandamentos de Deus. O salmista chegou a declarar que havia guardado a Palavra de Deus em seu coração para não pecar contra Ele (Sl 119.11). A Palavra é inspirada por Deus (II Tm 2.16,17); ela é lâmpada para os nossos passos (Sl 119.105) ; ela é a Espada do Espírito (Ef 6.17). A Palavra é o próprio Cristo (Jo 1.1; Ap 19.15). Quando a Palavra de Deus está em nosso coração, temos força para vencer a carne, o mundo com suas paixões e o próprio diabo.

II – O PODER DO JEJUM

Tanto no Antigo quanto no NT vemos pessoas usando o jejum como meio de aproximar-se de Deus. O jejum é uma arma espiritual poderosa utilizada pelo povo de Deus desde a Antiguidade.

  1. O que é jejum? O jejum é uma prática do povo de Deus, voltada para o Altíssimo e não aos homens. Jejuar significa privar-se de comida e bebida por um tempo determinado e está atrelado sempre à oração. Alguns tipos de jejum descritos na Bíblia: Normal não comer nada (Mt 4.1,2); Total, por 3 dias Ester jejuou (Et 4.15,16); Parcial, alimentação mais simples (Dn10.2,3) ou abster-se de um hábito ou atividade para ter mais tempo com Deus, sem interferir na vida de outros (I Co 7.5).
  2. A prática do jejum. Vemos na Bíblia, vários personagens que praticavam o jejum: Ester e os Judeus jejuaram com o propósito de receberem uma resposta do rei Assuero diante do plano maligno de Hamã (Et 4.16); Daniel jejuou por 21 dias por uma resposta de Deus (Dn 9.2,3); Jesus jejuou por 40 dias, buscando em Deus, fortalecimento para o Seu Ministério (Mt 4.1, 2); e a Igreja primitiva jejuava para receber direção divina (At 13.2,3). Ao nos sacrificarmos em jejum, fortalecemos a nossa comunhão com Deus e a nossa vida espiritual.

III – RELACIONANDO-SE COM DEUS

Desde o início, no Eden, Deus se relaciona com suas criaturas. Deus os visitava no Jardim para um momento de comunhão (Gn 3). Essa mesma comunhão hoje pode ser estabelecida por meio da oração assim o homem se relaciona com Deus, tornando-se íntimo dEle.

  1. Jesus e a oração. Por diversas vezes, encontramos passagens nos Evangelhos mostrando que Jesus tinha o hábito de orar. Jesus tinha plena consciência da dificuldade e da resistência que encontraria em Sua missão, por isso Ele vivia uma vida de oração. Em Mateus 14.23, lemos que Jesus despediu a multidão e foi orar. Observamos também que, no momento de maior agonia de Sua vida, no jardim do Getsêmani, por intermédio da oração, Jesus encontrou forças para tomar uma decisão dentro da vontade de Deus (Mt 26.36-46). Como discípulos de Jesus, precisamos cultivar também uma vida de oração.
  2. O lado prático da oração. A oração é o meio que temos de falar com Deus; apresentando a Ele nossas petições e ao mesmo tempo buscando revestimento de poder para vencer o mundo. A Igreja primitiva vivia uma vida de oração (At 2.42); Pedro estava preso, porém a Igreja fazia contínua oração por sua vida então Deus deu a ele um livramento de forma sobrenatural (At 12.5-12). Os discípulos de Jesus viveram intensamente a presença de Deus, porque cultivaram uma vida de oração; Estevão, quando estava sendo apedrejado, orou (At 7.60). A prática diária de uma vida de oração fortalece o nosso espírito e nos leva a ter uma vida de intimidade com Deus.

CONCLUSÃO

Uma vida de intimidade com Deus é o resultado de um relacionamento mais profundo, que é construído diariamente através da leitura da Palavra, do jejum e da oração.

 

 

 

Postado por: Pr. Ademilson Braga

Fonte: Editora Betel

 

 

 

 

 

 

Compartilhe!
Clique aqui para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais lidos

Copyright © Seara de Cristo - Todos os direitos reservados