You Are Here: Home » Artigos » Mardoqueu e sua integridade

Mardoqueu e sua integridade

EDIÇÃO: 54 – 1º Trimestre – Ano: 2021 – Editora: BETEL

LIÇÃO – 03 – 17 de janeiro de 2021

TEXTO ÁUREO

“E todos os servos do rei que estavam à porta do rei, se inclinavam e se prostravam perante Hamã, porque assim tinha ordenado o rei acerca dele; porém Mardoqueu não se inclinava nem se prostrava.”Ester 3.2

VERDADE APLICADA

É fundamental que o discípulo de Cristo possua uma vida íntegra.

OBJETIVOS DA LIÇÃO

– Refletir sobre o valor da integridade.

– Apresentar a importância do discernimento.

– Extrair lições de Mardoqueu para os dias atuais.

TEXTOS DE REFERÊNCIA

Ester 2

21. Naqueles dias, assentando-se Mardoqueu à porta do rei, dois eunucos do rei dos guardas da porta, Bigtã e Teres, grandemente se indignaram e procuraram pôr as mãos no rei Assuero.

22. E veio isto ao conhecimento de Mardoqueu, e ele o fez saber à rainha Ester, e Ester o disse ao rei, em nome de Mardoqueu.

23. E inquiriu-se o negócio, e se descobriu; e ambos foram enforcados numa forca; e foi escrito nas crônicas perante o rei.

Ester 6

1. Naquela mesma noite, fugiu o sono do rei; então mandou trazer o livro das memórias das crônicas, e se leram diante do rei.

INTRODUÇÃO

Veremos nesta lição que Mardoqueu manteve o seu caráter íntegro como servo de Deus, ainda que vivendo em terra estranha e no meio político. Podemos observar que, mesmo em meio às dores, ele manteve-se fiel ao Senhor.

I. MARDOQUEU E SUA INTEGRIDADE

Segundo o dicionário, integridade significa: “Características da pessoa que é íntegra; qualidade de quem é honesto; que é incorruptível.” Os relatos bíblicos mostram que Mardoqueu foi um homem de caráter exemplar, sua vida é um exemplo de integridade e submissão a Deus. A história de Mardoqueu é importante, pois nos inspira a perseverarmos em integridade mesmo no meio de uma geração corrompida [Fp 2.15].

1. Integridade consistente em terra estranha.

É impossível falar sobre o livro de Ester sem que venha à mente o cativeiro babilônico. Este fato, ocorrido no século VI a.C., é um dos mais importantes da história hebraica. Diversas fontes arqueológicas e os livros históricos e proféticos da Bíblia (Daniel, Jeremias, Ezequiel, Neemias e Esdras, entre outros) nos oferecem melhor compreensão dos acontecimentos que marcaram esse momento. Ciro, o rei da Pérsia, derrotou o império babilônico e permitiu que os exilados retornassem aos seus países e reconstruíssem suas cidades. No entanto, muitos judeus optaram em ficar na Pérsia. Um dos motivos que fizeram com que alguns dos judeus não voltassem a sua terra natal foi a situação profissional e econômica estáveis, pois muitos trabalhavam no comércio; outros estreitaram laços familiares com os povos locais. Mardoqueu não acompanhou os que se mudaram para a terra de Judá. Porém, mesmo vivendo em terra estranha, não perdeu a sua integridade e sua devoção a Deus.

2. Integridade na criação e acompanhamento de Ester.

A conduta de Ester nos faz ver que Mardoqueu a educou nos caminhos do Senhor. Ester chegou a ser rainha, mas ela não perdeu o amor ao Deus que fora ensinada por seu primo. Ela sabia que precisava acordar todos os dias nos braços do Senhor [Sl 139.18; Et 4.15-17]. Mardoqueu como um bom educador não queria nada mais do que saber que sua prima era uma pessoa de caráter. Ou seja, uma mulher que possuía honra, bondade e integridade. Devemos aprender com Mardoqueu que a integridade de nossas crianças também tem um tremendo impacto para além da nossa própria família. Ele nos ensina por meio da educação de Ester que um bom caráter não é genético. Deve ser ensinado e aprendido.

3. Integridade na atitude para com o rei Assuero.

O livro de Ester revela fatos e acontecimentos que evidenciam a integridade de Mardoqueu para com o rei da Pérsia. Mardoqueu, um judeu da tribo de Benjamim, ficou conhecido por criar sua prima Ester como filha [Et 2.5-7]. Foi um homem inteligente, que agiu conforme a direção de Deus. Ele ficava assentado à porta do rei e ali sabia o que acontecia na cidade [Et 2.21]. Certa vez, escutou que dois homens emboscaram contra o rei Assuero e avisou Ester, que levou a notícia ao rei, evitando assim a sua morte [Et 2.21-23]. Mesmo em terra estrangeira, Mardoqueu permaneceu em sua trajetória de integridade. Que seu exemplo nos inspire a nos dedicarmos, com mais afinco e amor, à seara do Mestre, a fim de que cumpramos a missão que Ele nos entregou.

II – MARDOQUEU DEMONSTRA DISCERNIMENTO

Mardoqueu demonstrou discernimento ao denunciar a trama para matar o rei e instruir Ester sobre o perigo existente, caso ela revelasse a sua verdadeira identidade. Aprendemos a enxergar por meio da vida de Mardoqueu que a intimidade com Deus nos oferece maturidade e capacidade para discernir entre o bem e o mal.

1. Vivendo em terra estranha.

Mardoqueu, mesmo vivendo em terra estranha, entendia que Deus é fiel no cumprimento de todas as suas alianças e promessas. Certamente, Mardoqueu era conhecedor da aliança existente entre Abraão e o Senhor. Mardoqueu percebeu que o povo judeu corria o risco de ser exterminado e que ele e Ester poderiam fazer alguma coisa para que não acontecesse tal tragédia. Se Deus tem promessas em nossa vida, devemos crer que Ele cumprirá. Não devemos deixar que os “Hamãs” da vida venham impedir nossa trajetória, nos amedrontando. Mardoqueu nos ensina que, não importa onde estejamos, nos momentos de crise, não adiante ficar se lastimando e chorando. Sua história de vida nos faz observar que nestes momentos é preciso orar, jejuar e buscar a face do Pai até que Ele envie o Seu socorro.

2. Percebendo as oportunidades.

A Bíblia registra dezenas de personagens que souberam aproveitar as oportunidades. Davi foi recompensado por sua coragem, Abraão foi recompensado por sua fé, Jó foi recompensado por sua paciência, Raabe foi recompensado por sua escolha, Rute foi recompensada por sua decisão, entre outros. Mardoqueu faz parte desta lista. Ele foi honrado por ter tido a oportunidade de se calar ou denunciar a trama de morte de rei. Porém, ele escolheu fazer o que era certo. A atitude de Mardoqueu nos faz ver que uma grande oportunidade nos conecta a outras oportunidades, que estavam, de alguma forma, ausentes antes de serem expostas. Muitas vezes, pequenas oportunidades são o começo de grandes honras.

3. Lidando com a exaltação.

Quando Deus lhe dá um desígnio, Ele estará sempre junto a você. Por isso nunca tente fazer nada sem a presença dEle [Jo 15.5]. A intimidade com o Senhor deve ser valorizada e cultivada. Mardoqueu, como um bom servo, desfrutou, pois ele vivia suas ações voltadas ao soberano. A história de Mardoqueu mostra que, além da honra vir na hora certa, o melhor de Deus incide sobre aqueles que descansam em Sua presença. Que possamos ser como Mardoqueu: praticar o que Deus quer que pratiquemos, e não segundo o nosso desejo. Assim, não seremos dominados pela soberba.

III – LIÇÕES DE MARDOQUEU PARA OS DIAS ATUAIS

Mardoqueu possui algumas lições que podemos extrair para as nossas vidas hoje: um homem honrado [Et 2.21-23]; só dava glória a Deus [Et 3.2-4]; um homem que por sua devoção foi usado por Deus, também em pleno Império Persa, junto ao rei [Et 10.3].

1. Não tenha medo dos desafios.

Mardoqueu atendeu ao pedido de Ester em buscar ao Senhor no momento que todas as situações lhes eram contrárias. Após o propósito de três dias [Et 4.15-17], Mardoqueu sabia que era um grande desafio e um risco enorme, porém era preciso que isso acontecesse, porque o propósito era salvar o seu povo. Diante dos riscos da vida, devemos confiar em Deus, que pode nos dar o escape [ICo 10.13]. Assim como Mardoqueu, precisamos buscar a Deus. Fazendo isso, estaremos buscando a direção e ajuda Daquele que conhece todas as coisas e pode resolver toda e qualquer situação que venha contra nossa vida. Como Mardoqueu, não devemos ficar parado com medo das circunstâncias. Devemos ter uma única certeza: Deus está conosco.

2. A vida cristã exige perseverança.

Perseverança é a base fundamental da vida de qualquer cristão. Perseverança significa persistir em seguir Jesus, mesmo enfrentando dificuldades. Perseverar é fazer o bem, independentemente das circunstâncias, por amor a Deus [Gl 6.9]. Perseverar em obedecer a Palavra de Deus é o que faz a diferença no Reino de Deus [Mt 5.16]. Que sejamos perseverantes em seguir ao Senhor, tendo a certeza que Deus opera em nossa vida como operou na vida de Mardoqueu.

3. Crença e valores sólidos bem definidos.

Mardoqueu foi ameaçado de morte, mas isso não foi suficiente para que se calasse. Quando soube a trama da morte do rei, seus valores falaram mais alto e acabou por denunciar o plano. Por muitas vezes, o mundo produz muitas vozes, tentando nos desanimar, trazendo ansiedades que podem prejudicar nossa vida de oração. Contudo, quando possuímos valores bem definidos e sólidos, nada nos afasta do amor de Cristo [Rm 8.35-39].

CONCLUSÃO

Nesta lição observamos que a integridade deve ser a nossa marca. Vimos que devemos seguir o exemplo de Mardoqueu, que viveu em uma sociedade pecaminosa, porém manteve-se fiel e temente ao Senhor, pois possuía valores sólidos e bem definidos.

Postado por: Pr. Ademilson Braga

Fonte: Revista Betel

Compartilhe!

Deixar um comentário

© Seara de Cristo - Todos os direitos reservados.

Scroll to top