You Are Here: Home » Artigos » Jovens permaneçam puros!

Jovens permaneçam puros!

Nestes dias em que o sexo parece ter sido “liberado”, em que há uma excessiva exploração de temas ligados ao sexo, em que se pode adquirir contraceptivos com facilidade, em que a sociedade já começa a aceitar mães e pais solteiros, em que o aborto e praticado quase a qualquer momento, e em que os jovens estão cada vez mais convencidos de que é inevitável ter experiências sexuais antes do casamento, é muito fácil desistir de nossos padrões morais. O que é necessário, então, para que um jovem permaneça puro?

Quero apresentar-Ihes um extraordinário rapaz de nome José que se achava noivo de uma jovem admirável, chamada Maria. Certo dia, depois que eles já estavam comprometidos, Deus decidiu que Maria seria a mãe do Salvador Jesus Cristo. Ela iria conceber por uma atuação miraculosa do Espírito Santo, e continuaria virgem enquanto levasse no ventre a criança divina.

Então José e Maria se mantiveram fiéis ao padrão de pureza determinado por Deus, antes e depois da concepção do Senhor. A Bíblia diz o seguinte: “Contudo, não a conheceu, enquanto ela não deu a luz um filho, a quem pôs o nome de Jesus”. (Mt 1.25.)

Isso me deixa maravilhado. Existem aí dois fatos impressionantes: primeiro, o milagre da encarnação divina, e segundo, a maravilha da integridade moral dessa jovem pura e desse homem santo. Como foi que Maria e José mantiveram essa integridade que os qualificou para missão tão honrosa?
Amando a Deus e guardando seus mandamentos. Quando eram tentados, eles se firmavam nas verdades espirituais.

Como estamos nós hoje? Vivemos em pureza no meio de nossa geração? Como é que podemos seguir os padrões morais estabelecidos por Deus? Vejamos oito fatores que podem ajudar-nos.

1. Convencer-se de que a união sexual pode ser praticada exclusivamente no contexto de um casamento. A cerimônia nupcial é um ato designado por Deus para a consolidação de uma aliança sagrada, e a única via de acesso correta para a união sexual. Um casal só pode gozar das intimidades de um casamento, depois que assumir um compromisso diante de um juiz de paz ou de um ministro eclesiástico para isso autorizado. Tal cerimônia, sendo um ato publico, deve ser testemunhada por outras pessoas. Deus também o testemunha. E assim o casal é unido segundo a palavra dada por Deus a Adão e Eva no jardim do Éden: “Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem”. A Bíblia chama a união que um homem e uma mulher praticam antes do casamento de “impureza”, E a Palavra ordena: “Fugi da impureza!” (I Co 6.18.) Diz ainda que “Deus julgará os impuros…” (Hb 13.4).

E após o casamento Deus nos dá a seguinte ordenança: “Não adulteraras”, Adulterar é manter relações sexuais com alguém que não é o seu próprio cônjuge, Esse termo designa também qualquer tipo de impureza.

A prostituição, o lesbianismo, a prática do homossexualismo e o abuso sexual de crianças estão todos incluídos na categoria de adultério.

Para permanecermos puros temos de nos convencer de que a relação sexual deve ser restrita ao casamento, e precisamos nos sujeitar a essa determinação.

2. Adotar princípios morais absolutos, rejeitando quaisquer alternativas. A Bíblia deixa bem claro que não podemos, modificar os padrões estabelecidos por Deus. O Senhor inspirou Paulo a que escrevesse o seguinte aos cristãos de TessaIônica, uma cidade onde imperava a imoralidade: “Lembrais com certeza as instruções que então vos dei em nome do Senhor Jesus. O plano de Deus é a vossa santificação, que implica, antes de mais, a abstenção completa de toda a imoralidade sexual. Cada um deve procurar dominar o corpo, conservá-lo puro e tratá-lo com respeito, nunca o considerando como um instrumento de prazer e satisfação, tal como fazem os pagãos que não conhecem a Deus. Não podeis violar esta lei, sem de qualquer modo prejudicar o próximo. E lembrai-vos que Deus punirá todo aquele que pratica ofensas deste gênero, conforme por experiência sabemos, e, alias, já vos preveníramos. Deus chama-nos a pureza completa, e não a impureza. Todo o que não levar a sério a esta regra, é ao mandamento de Deus que desobedece, e não às prescrições humanas. Não é em vão que o Espírito de Deus, que nos é concedido, se chama o Espírito Santo.” (l Ts 4.2-8 – Cartas as Igrejas Novas.)

3. Atender as orientações dos pais, que são os que nos conhecem melhor e mais nos amam. Por que os pais aparentemente não confiam nos filhos na questão do namoro? Porque os amam. Todos os jovens ouvem ordens do tipo:

“Esteja em casa no Maximo até meia-noite,”

“Não; não podem viajar juntos a noite.”

“Não traga sua namorada (namorado) aqui quando estivermos fora.”

Será que essas restrições são tão absurdas assim? Vamos ser francos. Todos nós temos nossos pontos falhos, a respeito dos quais ninguém pode confiar em nós. No meu caso, por exemplo, meus colegas podem confiar em mim quando se trata de dar uma aula, mas não de instalar uma rede elétrica. E que eles se interessam por mim e não querem que eu morra.

Se um casal de namorados começar a se abraçar, se beijar e a tocar um no outro, sua constituição sexual ira ficando carregada com uma energia semelhante a eletricidade, provocando a necessidade de uma descarga. Sejamos honestos. Quem realmente deseja ter um viver santo não precisa nem se preocupar se os outros confiam nele ou não. Quem é inteligente não confia em si mesmo nessas situações. O jovem precisa de muita assistência nessa área, inclusive da interferência dos pais. Atenda ao que eles dizem. Eles já passaram por isso e o filho pode confiar neles. Jovem, não exija que seus pais confiem em você; conquiste a confiança deles obedecendo as suas orientações.

4. Evitar situações nas quais é mais difícil resistir a tentação. Ninguém precisa provar que é forte e se sai bem em qualquer situação. Deve, porem, mostrar que é inteligente evitando aquelas em que sabe que poderá perder o controle. Ficar os dois juntos num lugar romântico, favorável ao aconchego, aumenta a possibilidade de serem dominados por forte desejo sexual. É por isso que Paulo diz aos crentes de. Corinto: “Fugi da impureza!”

Vejamos outro José (o do Velho Testamento). A esposa de Potifar tentou atraí-lo para uma relação adulterina. Contudo ele percebeu suas intenções e sentiu o perigo de expor-se à insistência da mulher. E quando ela praticamente se entregou a ele, o rapaz disse: “Como, pois, cometeria eu tamanha maldade, e pecaria contra Deus?” (Gn 39.9b.) Tencionando manter-se puro, ele não confiou em sua força moral. Fugiu da tentação.

5. Esforçar para manter uma consciência pura e uma fé forte. Uma consciência pura e um terreno fértil em que a fé pode desenvolver-se. Todavia se desobedecermos a Deus com relação à pureza sexual será impossível termos uma consciência pura. Quem permite que sua consciência vá sendo maculada, verá declinar sua fé e sua capacidade de resistir às tentações.

Se você pecou e sua consciência o está incomodando, confesse seu pecado a Deus e abandone essa pratica pecaminosa. Cristo o purificará e o libertará. “Muito mais o sangue de Cristo que, pelo Espírito eterno, a si mesmo se ofereceu sem mácula a Deus, purificará a nossa consciência de obras mortas para servirmos ao Deus vivo!” (Hb 9.l4.)

6. Aprender o verdadeiro significado de “amar”. Vez por outra ouvimos pessoas explicarem:

“Nós mantemos relações sexuais porque nos amamos.”

O casal que da essa desculpa não sabe de fato o que é amar. Na verdade, eles deveriam indagar a si mesmos:

“Se eu realmente amasse alguém, será que o levaria a pecar?”

Amar uma pessoa e desejar para ela o mais elevado estado de bem-estar que pode existir. Um homem que de fato ama uma mulher procurara protegê-la da imoralidade com suas consequências funestas. Quem ama de verdade dirá:

“Não quero que você desobedeça ao mandamento de Deus.”

7. Ter sempre em mira os propósitos de Deus. Deus tem um propósito definido para a vida de cada um de nós, mas para que ele se concretize precisamos estar vivendo santamente. Paulo escreveu o seguinte a Timóteo: ”Assim, pois, se alguém a si mesmo se purificar… será utensílio para honra, santificado e útil ao seu possuidor, estando preparado para toda boa obra” (II Tm 2.21). Deus, em sua misericórdia e poder redentor, pode purificar-nos de todo pecado, propiciando-nos uma vida feliz e vitoriosa.
Entretanto se você, jovem, tem o hábito de praticar pecados sexuais, está interferindo no plano e expectativas que Deus tem a seu respeito. Submeta sua sexualidade ao Senhor Jesus, deixando que ele a controle, e o conduza a uma vida de serviço através da qual você será abençoado e outros também.

8. Buscar forças na leitura da Palavra de Deus. Certo dia eu preguei sobre a pureza sexual, e citei a grandiosa promessa de I Coríntios 10.13: “Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel, e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrario, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar”.

Espero que você, leitor, faça como esse casal de namorados – aplique está mensagem ao seu coração, e assim estará edificando um firme fundamento para uma vida santa e um casamento feliz. Se o fizer, será abençoado pelo resto da vida.

 

Extraído

Postado por: Pb. Ademilson Braga

Compartilhe!

Deixar um comentário

© Seara de Cristo - Todos os direitos reservados.

Scroll to top