You Are Here: Home » Artigos » E.B.D » Adultos - Betel » A comunicação no ambiente familiar

A comunicação no ambiente familiar

EDIÇÃO: 03 – 1º Trimestre – Ano: 2020 – Editora: BETEL

LIÇÃO – 03 – 19 de janeiro de 2020

TEXTO ÁUREO

A morte e a vida estão no poder da língua; e aquele que a ama comerá do seu fruto.”, Pv 18.21

VERDADE APLICADA
A comunicação é um dos aspectos fundamentais na construção e manutenção do ambiente harmonioso na família.

TEXTOS DE REFERÊNCIA

Efésios 4:26,27,29-32

26 – Irai-vos, e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira.

27 – Não deis lugar ao diabo.

29 – Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação, para que dê graça aos que a ouvem.

30 – E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual estais selados para o dia da redenção.

31 – Toda a amargura, e ira, e cólera, e gritaria, e blasfêmia e toda a malícia sejam tiradas dentre vós,

32 – Antes sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo.

INTRODUÇÃO

Um dos fatores que mais influencia o ambiente familiar é a comunicação. Por isso, a Palavra de Deus está repleta de orientações e alertas sobre o uso desta relevante capacidade do ser humano concedida pelo Criador.

I. A RELEVÂNCIA DA COMUNICAÇÃO

Em todos os nossos relacionamentos a comunicação é um aspecto fundamental, seja para contribuir na harmonia e bem estar ou para produzir conflitos, desentendimentos e um ambiente de discórdias. Tal constatação também está presente no ambiente familiar. Assim, é de importância capital que a comunicação seja alvo de consideração por todos os membros da família cristã.

1. O que significa comunicação?

Uma sincera reflexão sobre qualquer tema passa, necessariamente, por compreender bem o seu significado. Quando o tema é “comunicação”, é muito importante atentarmos para isso, pois a tendência é reduzirmos o significado a simplesmente falar, gesticular ou escrever. Porém, ao verificarmos os vários conceitos sobre a expressão “comunicação”, se percebe que se trata de um exercício mais complexo: “Ato ou efeito de emitir, transmitir e receber mensagens”; “capacidade de trocar ou discutir ideias, de dialogar, de conversar, com vista ao bom entendimento entre pessoas”. Não apenas falar, mas conversar, ouvir, entender. Que nós, como discípulos de Cristo, sejamos bons comunicadores também no ambiente familiar [Ef 4.29].

2. Deus, Criador e Comunicador

A Bíblia revela que o Senhor Deus não apenas criou o ser humano, mas o abençoou com a capacidade da comunicação e Ele próprio tomou a iniciativa de se comunicar com Suas criaturas [Gn 1.28; 2.16; 3.8-9], instruindo, ordenando e chamando. Mesmo após o pecado, Deus continuou a se comunicar com a humanidade, utilizando-se de diferentes meios para transmitir Suas mensagens [Êx 34.1; Hb 1.1]. Relevante para o contexto familiar é o fato de o texto bíblico associar a decisão divina de providenciar a mulher para o homem com a necessidade de comunicação: “Não é bom que o homem esteja só” [Gn2.18]. O ser humano foi feito para interagir, se comunicar.

3. Famílias conscientes da importância da comunicação

Considerando as diferenças presentes entre os membros de um grupo familiar, ou seja: um é mais racional e lógico; outro é mais movido pela emoção; outros têm idades e interesses diferentes; cada um com características próprias. Tais diferenças tornam o ambiente propício para constantes conflitos e desentendimentos. Assim, é muito importante que a família tenha plena consciência da importância da comunicação e procure se esforçar no exercício da mesma na constante busca por um ambiente onde haja acordo, harmonia e segurança [Am 3.3; Mt 12.25].

II. A BÍBLIA E A COMUNICAÇÃO

A Bíblia é um verdadeiro manual de comunicação. Este tópico se propõe a apresentar alguns dos princípios que são perfeitamente aplicáveis no relacionamento familiar e que, se observados e praticados, muito contribuirão para uma constante melhoria neste processo tão relevante para bem-estar da família.

1. Atentar para o momento mais adequado.

Em todos os grupos sociais que participamos, inclusive familiar, é relevante atentarmos para o momento mais adequado para expressarmos uma opinião, comentarmos sobre determinado assunto ou levantarmos um questionamento. O pregador afirmou: “…tempo de estar calado e tempo de falar” [Ec 3.7]. A palavra dita no tempo apropriado tem grande valor, sendo comparada a algo bom e a uma joia finamente trabalhada [Pv 15.23; 25.11]. Assim, é importante pensar, refletir, orar e buscar a direção do Espírito Santo acerca do momento mais adequado para tratar dos diversos assuntos que fazem parte do dia a dia da família.

2. Atentar para a importância do ouvir

O apóstolo Tiago exortou: “seja pronto para ouvir” [Tg 1.19]. No processo da comunicação familiar é muito importante colocarmos em prática esta exortação bíblica, não apenas entre o casal, mas, também, entre pais e filhos. Tal atitude, que não deve ser confundida, com dar, concordar ou fazer tudo o que eles pedem ou falam, muito contribui para que os filhos se sintam valorizados e plenamente participantes do grupo familiar, além de ajudar a formar neles o hábito de ouvir. Certo autor escreveu: “Ouvir é muito mais do que esperar a vez de retrucar, de escutar palavras. Significa receber e compreender a mensagem verbalizada”. É sábio ouvir antes de responder [Pv 18.13]. 

3. Atentar para as palavras usadas

O cristão precisa lembrar que, também dentro de casa, as palavras que pronuncia devem corresponder ao fato de ser uma nova criatura em Cristo Jesus [Ef 4.25,29,31; Cl 3.8; 4.6]. A arte da comunicação é um contínuo aprendizado. É preciso atentar para o fato de que as palavras podem ferir e destruir um relacionamento familiar [Pv 18.21]. Mais uma vez vemos a importância de pensar, orar e pedir o auxílio do Espírito Santo. Portanto, se o diálogo é fundamental no relacionamento familiar, as palavras que usamos no diálogo não são de menor importância. Tal atenção também precisa ser considerada na comunicação entre pais e filhos [Cl 3.21].

III. BUSCANDO APERFEIÇOAR A COMUNICAÇÃO

Tendo visto os três princípios bíblicos aplicáveis na comunicação, é importante que a família procure observar algumas atitudes na constante busca por aperfeiçoar este processo tão complexo e relevante na vida diária de um lar.

1. Falar a verdade com amor

É fundamental que o amor também esteja envolvido no processo de comunicação, pois fará a diferença nas palavras usadas e na maneira de falar. Pois, não basta falar a verdade ou expressar uma discordância, é preciso que o amor esteja presente, influenciando tal manifestação [Ef 4.15]. O casal, principalmente, precisa ter em mente que ao tratar de um assunto ou discordar das atitudes dos filhos, o que se pretende não é “ganhar” uma discussão ou “vencer” um debate, mas buscar manter e aperfeiçoar a harmonia da família e ajudar os filhos nas diversas fases da vida [I Co 13.4-7].

2. Não apenas palavras na comunicação

Faz a diferença na comunicação verbal não apenas as palavras usadas, mas, também, a tonalidade da voz e a expressão corporal que acompanha o processo, seja quando estiver falando ou ouvindo. As expressões faciais, o olhar, os gestos, a postura têm grande impacto na comunicação. Quando um membro da família está ouvindo o outro, tais expressões corporais também são importantes. Afinal, ouvir não é sinônimo de passividade, mas concentração e doação. A Bíblia diz que a “resposta delicada acalma” [Pv 15.1 – NTLH].

3. É preciso investir tempo

Os desafios do presente século também envolvem o processo de comunicação dentro de uma casa. Se os membros da família não tem consciência da importância da comunicação (vide o tópico 1.3) são capazes de não se comunicarem entre si ao longo de um dia ou mais. Portanto, o princípio da prioridade também deve ser usado quando o assunto é investir tempo na comunicação da família. Tal atitude reflete prudência e sabedoria para viver nos dias maus, além de contribuir para fortalecer e aperfeiçoar os relacionamentos familiares [Ef 5.15-16].

CONCLUSÃO

A comunicação no ambiente familiar não possui uma única fórmula, pois cada família é uma realidade. Contudo, a família cristã, com a graça de Deus e a ação do Espírito Santo, deve demonstrar vontade, interesse, esforço e amor no exercício de tão importante aspecto para uma família saudável.

Postado por: Pr. Ademilson Braga

Fonte: Editora Betel

Compartilhe!

Deixar um comentário

© Seara de Cristo - Todos os direitos reservados.

Scroll to top